quarta-feira, 1 de junho de 2011

E ELE VIROU DOUTOR...

As informações abaixo constam em arquivos secretos do Pentágono.

O responsável pela divulgação dessas informações neste veículo de comunicação foi enviado para Guantánamo.

“Bang a drum for the sinners”, como diria Jon Bon Jovi, provavelmente tentando uma releitura mau e porcamente falhada de “Drum Taps”, de Walt Whitman...

No dia 31 de maio de 2011, por volta de 10h da manhã, um grupo de cinco pessoas se reuniu num local afastado e isolado, dentro do mítico campus da UNESP – Araraquara, com a presença de uma platéia muito seleta, para discutir questões sobre um texto chamado “Segredos do Sótão: Feminismo e Desconstrução na obra de Kate Chopin”.

O manuscrito de quatrocentas páginas de "Segredos do Sótão".
[A foto foi feita pela CIA em missão secreta em Dubai, possivelmente no ano passado]

O texto, um calhamaço de quatrocentas páginas, possivelmente um apócrifo transliterado ao português contemporâneo a partir de códices antigos e medievais escritos em línguas mortas, as línguas usadas nas folhas da Sibila, foi “escrito” por um certo Aparecido Donizete Rossi, doravante apenas Cido – PhD-to-be, sob a pretensa desculpa de se tratar de uma tese de doutorado sobre Feminismo, Desconstrução e a obra de uma tal Kate Chopin, um pseudônimo feminino usado por uma mulher do final do século XIX.
O que seria Feminismo e o que seria Desconstrução permanece um mistério tão grande quanto o que significa “γνῶθι σεαυτόν”.
O que se sabe é que o grupo de cinco pessoas que teve acesso a esse texto, um grupo que decidiu se auto-intitular simplesmente como a Banca, resolveu tecer considerações sobre as barbaridades impublicáveis ali transliteradas diretamente àquele que se proclamou “autor”.
Por questões de segurança, abaixo seguem os nomes fictícios dessas cinco pessoas.

* ALCIDES – conhecido como o Orientador, um seguidor de Blake e Derrida, ou seja, um avatar de Vishnu. Foi ele quem conclamou a Banca para que esta desconstruísse o texto de Cido – PhD-to-be. O que poucos sabem é que Alcides foi o mentor de Cido – PhD-to-be, quem lhe abriu os caminhos de todos os insidiosos conhecimentos que lhe permitiram transcrever ao português contemporâneo as línguas mortas, truncadas e ininteligíveis usadas em alfarrábios tão antigos quanto o Ocidente.

* RITA – o primeiro membro da Banca. Uma mulher com um poder escritural tão grande a ponto de ser capaz de transformar universos em palavras sem ser uma Poetisa.

* MARIA CONCEIÇÃO – o segundo membro da Banca. Uma mulher que faz perguntas extremamente inquietantes no tom de quem dá conselhos para a vida.

* ANA MARIA – o terceiro membro da Banca. Uma mulher com uma habilidade rara: saber provocar a ponto de enlouquecer o subjétil.

* MARIA CLARA – o quarto membro da Banca. Uma mulher que lê com os olhos da Poesia. Uma mulher que deslê, portanto.

Havia ainda, como dito, uma platéia seleta composta de doutores, mestres e pessoas que se apresentavam como “leigas”, mas que nada tinham de leigas. Todos eles eram seres enviados de outros planos da existência para verificar como os impasses instaurados pelo texto transliterado de Cido – PhD-to-be se desenvolveriam.
Não é preciso dizer, pelo breve resumo que segue sobre o que cada membro da Banca disse a Cido – PhD-to-be e sobre o que ele tentou ponderar, que os seres interplanares que compunham a platéia ficaram ora absurdados, ora estupefatos, ainda que certamente entretecidos numa malha textual indecidível.

ALCIDES
[Colocando seu fuzil AR-15 preferido sobre a mesa]
— Você tem alguma coisa a dizer, Cido – PhD-to-be?

CIDO – PhD-to-be
[Também colocando seu fuzil AR-15 preferido sobre a mesa]
— Sim. Eu quero o divórcio.

* * *

RITA
— Você é injusto em sua crítica à Elaine Showalter, ainda que você possibilite “inter-sex(text)ualities” perigosas naquilo que transliterou.

CIDO – PhD-to-be
— Eu agradeço pelo imenso elogio sobre “meu” texto possibilitar “inter-sex(text)ualities” perigosas. Não sei o que dizer sobre tamanha generosidade.
Concordo que pesei a mão com relação à Showalter, mas não retiro uma palavra do que escrevi já que, ainda em 2009, ela insiste em não rever seu conceito de “autoridade da experiência”.

PLATÉIA
— WOW!

BANCA
 [Muda e impassível]

RITA
— O hymen desliza.

CIDO – PhD-to-be
— Sim. Sem dúvida o hymen desliza.

RITA e CIDO – PhD-to-be
[Um riso franco e cúmplice toma seus rostos]

* * *

MARIA CONCEIÇÃO
— Sendo o Patriarcado um construto histórico, e o unheimlich um construto do imaginário, como você vê uma possibilidade de aproximação entre essas duas coisas?

CIDO – PhD-to-be
— Sim. Uma vez que o Patriarcado é um construto histórico o próprio Freud, um dos inventores do Patriarcado, detecta um “Mal-estar na civilização”, um mal-estar que incomoda esse Patriarcado. Esse “mal-estar” é o Feminino, é aquilo que deve ser silenciado, rebaixado, excluído. O mal-estar no Patriarcado, ou o Feminino, é o unheimlich, ou seja, algo que não tem nada de imaginário.

PLATÉIA
[Prende a respiração]

MARIA CONCEIÇÃO
 — Mas Freud...

CIDO – PhD-to-be
 — Freud nada explica. Ele apenas sugere.

MARIA CONCEIÇÃO
[Impassível, meneia a cabeça afirmativamente em sinal de aprovação]

* * *

ANA MARIA
— O que se tem ao final de “Désirée’s Baby” é um suicídio.

CIDO – PhD-to-be
— Não. O que se tem ao final de “Désirée’s Baby” é a encenação de um suicídio que desemboca no mito (de Lilith – Medéia, no caso).

ANA MARIA
— Discordo.

CIDO – PhD-to-be
— Eu sei. Pelo que sou muito grato.

ANA MARIA
— Você gosta de ser provocado.

CIDO – PhD-to-be
— Provocar é pedir para ser provocado, não é?

ANA MARIA
— Com certeza.

CIDO – PhD-to-be
— Então você é a pessoa certa que está me provocando.

Alguém da PLATÉIA
— Típico dele.

BANCA
[Risos]

* * *

MARIA CLARA
— Você precisava ter se detido e analisado a janela em “The Story of an Hour”!!! Há poesia ali!!!

CIDO – PhD-to-be
— Concordo em gênero, número e grau.

BANCA
[Uma balbúrdia de felicidade entre os cinco, da qual também participa Cido – PhD-to-be]

PLATÉIA
[Caras de “do-que-é-que-eles-estão-falando?”]

* * *

Depois de confabular e elucubrar durante horas a fio e no mais absoluto segredo e isolamento, a Banca decide chamar novamente Cido – PhD-to-be e a platéia para dentro daquele “território do selvagem”, como diria Elaine Showalter. Eles tinham chegado a um veredicto.

ALCIDES
— A Banca chegou a um veredicto. Habemus doctorum.

[Sobe a fumaça branca papal que até então pairava sobre os copinhos de café que a Banca bebera enquanto elucubrava]

ALCIDES
— A partir deste instante você é um Doutor.

BANCA
[Joga sobre Cido – PhD as cinco cópias de quatrocentas páginas de sua transliteração]

ALCIDES
[Assumindo o tom de John Constantine depois de dar um soco no anjo Gabriel ao final do filme Constantine]
— Isto se chama "peso do conhecimento". Get used to it e vá, a partir de agora, ser gauche na vida.

[Cortinas]

* * *

Gostaria de deixar expresso aqui meus sinceros agradecimentos ao meu Orientador e à Banca de digníssimas autoridades que ontem, 31/05/2011, reuniu-se para discutir minha tese de doutorado e que, depois de ter lido e ouvido, num belíssimo gesto de hospitalidade, concluiu que eu deveria receber o título de Doutor em Estudos Literários.
Aproveito também para deixar meus agradecimentos a todos aqueles e aquelas que, de uma forma ou de outra, me acompanharam nesta caminhada.

 [Da esquerda para a direita] Prof.ª Dra. Maria Clara Bonetti Paro (UNESP - FCL-Ar), Prof.ª Dra. Ana Maria Domingues de Oliveira (UNESP - Assis), Prof. Dr. Alcides Cardoso dos Santos (UNESP - FCL-Ar), Prof.ª Dra. Rita Terezinha Schmidt (UFRGS) e Prof.ª Dra. Maria Conceição Monteiro (UERJ).

Eu.

Membros da Platéia.

 Membros da Platéia.

 Membros da Platéia.

O momento derradeiro, resultado de toda uma vida...



(Photos and video by Cairo Braga)

19 comentários:

  1. Que tudo, querido! Parabéns por essa vitória tão merecida! E vc estava muito elegante com esse casaco. Um luxo! Precisamos comemorar muito, hein! Novamente, parabéns ao doutor mais fresco do mundo! hehehe

    ResponderExcluir
  2. RESPOSTA AO MARCOS:

    Obrigado, meu caro! Obrigado mesmo!
    Adorei o "doutor mais fresco do mundo"! RSRSRS
    E vamos comemorar sim!
    Aviso assim que organizar tudo.
    De volta de San Francisco?
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Realmente, foi um espetáculo e tanto. Uma verdadeira "briga" de gigantes expondo suas opiniões e argumentando sobre. Eu, dá platéia, senti o peso da banca. Imagino que não deve ter sido fácil encarar um pessoal desse naipe, o que só vem a enaltecer seu mérito, principalmente quando você rebate as críticas,por elas feitas, em relação a um ponto ou outro da sua tese. Contudo você esqueceu de mencionar um fato relevante na minha opinião, quando você estava respondendo a Maria da conceição sobre algo relacionado ao Freud, você soltou a frase "mesmo porque Freud não explica nada, ele só sugere". Caramba! Perante a uma Banca com tantos doutores, haja coragem e ousadia é claro. Típico de você. Parabéns mestre.....uhm...desculpa, doutor...,ou melhor, mestre-doutor...rsrsrs.

    ResponderExcluir
  4. RESPOSTA AO DIÓGENES:

    Meu querido Diógenes, obrigado pelos elogios.
    Espero que você não tenha se assustado com a situação de banca que presenciou.
    Ali não era uma "briga" não, ainda que todas as pessoas que estavam na minha frente sejam gigantes.
    Ali foi um estabelecimento de posicionamentos, uma discussão de opiniões, um ritual de passagem em que eu tinha que me defender diante da ousadia do que escrevi, e optei por me defender com a própria ousadia... coisa de quem tá começando a ser intelectual, certamente diria meu amado orientador... "Isso passa. Isso passa" (ouço ele sussurrando isso aqui nos meus ouvidos).
    A banca, como um todo, foi muito gentil, educada e hospitaleira.
    Os assuntos é que eram espinhosos e demandavam certos posicionamentos de ideias que, a princípio, podem ter parecido petulância ou ousadia excessiva de minha parte.
    Mas tenha certeza, Diógenes, que aqueles gigantes lá estão acostumados com essas coisas e não ficaram minimamente assustados com minhas palavras, pois eu e eles sabemos que eu estou apenas no início do caminho que eles já traçaram.
    Te garanto, Diógenes, que ter dito que "Freud não explica nada, ele só sugere" era algo que meus amados gigantes até esperavam que eu dissesse.

    Ah! Nem mestre e nem doutor.
    Simplesmente Cido.

    Abração!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns meu EX-teacher!!

    Tudo de melhor pra ti =D

    ResponderExcluir
  6. olá, parabens!!!!
    tudo de bom vc merece!!!
    Fui sua aluna na Unicastelo, curso
    psicologia, agora to em Goiania vou
    prestar letras na UFG.
    Adorava suas aulas, vc foi meu melhor
    professor de portugues...hehe fez eu me
    apaixonar pelo curso...
    att
    mais uma vez parabéns...sucesso Cido

    ResponderExcluir
  7. Lendo sua narrativa imaginei você tremendo perante Stª Rita, as Três Marias e o Grande mestre Alcides.
    Ainda estou sorrindo de orgulho, como se eu fosse sua mãe e vc tivesse conquistado o mundo.
    Vc é uma inspiração. Quem diz que nossas inspirações vêm da infância não conheceram você, pessoa que me fez elevar meu potencial, e saber do que realmente sou capaz. Além de DOUTOR e PhD to be, você é um exemplo, suas opiniões entram nas nossas cabeças e nós acabamos defendendo-as como se fossem nossas, além de você deixar brechas lindas para que discordemos de você. Quando eu crescer, eu quero se o Cido!!!!!
    Hoje eu estou aqui, na minha mesa de trabalho, sorrindo como uma boba porque você conseguiu. Realizou um projeto e um sonho, e claro, saiu da sua defesa com outro objetivo, maior, mas que vc vai conquistar rapidinho.
    Vamos bebemorar isso loguinho. Vc vem pra cá (fiquei sabendo que vc anda frequentando umas bocas aqui) ou nós vamos aí, te dar um banho de champanhe bem Queen. Amo vc

    ResponderExcluir
  8. Comentário maquiavélico stricto sensu: o paradoxo feminista é que elas não sabem - talvez não queiram - abdicar dos estigmas patriarcais da fragilidade e da inferioridade de força física.

    FEMINISTA: CUIDADO RAPÁ! SOMOX SINIXTRAS! A BARRA AQUI É PASADA, SEU PATER FAMÍLIAX FILHO DA PUTA! TOCA EM MIM! TOCA EM MIM QUE A MARIA DA PENHA CANTA PRO TEU LADO!

    PATER FAMÍLIAS: Bom dia pra você também...mas eu só ia pedir pra você me passar o vidro de maionese!

    FEMINISTA: AAAAAHHH!!! TA INSINUANDO QUE EU NÃO CONSIGO ABRIR ESSA PORCARIA??? TÁ??? SEU PATER MACHÕES! OLHA AQUI... EU... VOU... ABRIR... ESSSSSSS....MAIONEEEEESE... Ai! Minha unhaaaaaaa!!!! Maionese idiota!

    PATER FAMÍLIAS: usa a postiça.

    FEMINISTA: VOU ENFIAR A POSTIÇA NO MEU DO TEU RABO!

    PATER FAMÍLIAS: vc tá colocando a masculinidade de um pater famílias em cheque?

    FEMINISTA: é... você tem razão...não faz sentido.

    PATER FAMÍLIAS: sentido faz... só não há provas empíricas.

    FEMINISTA: ah não? E a sociedade espartana era o quê?

    PATER FAMÍLIAS: masculinidade não prescinde de escolha sexual... ou será o contrário?

    FEMINISTA: Pois é! E feminilidade não prescinde de força física!

    PATER FAMÍLIAS: quer fazer o teste do vidro de maionese outra vez?

    FEMINISTA: Grosso!

    PATER FAMÍLIAS: não, eu não quis...

    FEMINISTA: estúpido! cavalo! selvagem! troglodita! animal! bossal! trocou a ferradura hoje é? Vc nem se importa comigo! To cansada, com dor de cabeça, TPM, insônia, meu cabelo tá embaraçado, to com cólica e sabe o que mais? EU TO GORDAAA!!! E O MEU PÉ 42 NÃO CABE NO SAPATO 35 QUE EU COMPREI!

    ResponderExcluir
  9. OMG, vc ouviu eu dizendo "Típico dele!", estou encabulado, rs.

    e te parabenizo citando um clássico do meu mundo audiovisual: "chamando Doutor Hans Chucrute, chamando Doutor Hans Chucrute, te esperam no quarto 42."

    BJOSMIL
    CB

    ResponderExcluir
  10. RESPOSTA AO TIAGO TROVA

    Olá meu caro!
    Há quanto tempo!
    Como você está?!

    Muito obrigado pelos parabéns!
    Tudo de ótimo pra você também!

    ResponderExcluir
  11. RESPOSTA À REGIANE

    Olá Regiane!
    Tudo bem?

    Obrigado pelos parabéns!
    E agora se tornou de grande responsabilidade de minha parte saber que você vai fazer Letras na UFG tendo sido influenciada por mim.
    Desejo a você muita sorte, felicidade e sucesso na sua escolha.
    Precisando de mim, é só entrar em contato.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. RESPOSTA À CHER

    Olá Cher, amada amiga!

    Nossa!
    Fiquei MUITO EMOCIONADO E HONRADO com suas lindas e gentis palavras. Obrigado mesmo.
    Bom... não posso dizer que tremi diante da banca, pois eu estaria mentindo.
    Eu estava bastante confiante: sabia que tinha escrito um bom trabalho e estava consciente do teor provocativo e polêmico dele.
    Na verdade, eu fiquei muito feliz com aquela situação, pois toda uma vida foi voltada para resultar naquele momento.
    Sim, saí dali com novos objetivos sim. Não sei se maiores ou menores do que os já conquistados, mas certamente motrizes para os próximos tempos.
    Precisamos sair pra comemorar sim! Se não aqui, aí! E quem me levou pras bocas de Porto Ferreira foi o Valdir, mas eu imagino que você conheça outras bocas ainda mais punks! rsrsrsrs!
    O banho de champagne a gente deixa pro verão, neh?

    Beijos mil

    ResponderExcluir
  13. RESPOSTA AO VANBERTO:

    ADOREI o comentário maquiavélico stricto sensu (que não tem nada de strictu...): eu falo a mesma coisa, quase com as mesmas palavras, na minha tese.
    Você viu qual foi a reação, não viu? Você estava lá...

    BÁRBARO o diálogo!
    Em suma, é isso mesmo.
    KKKKKKKKKKKKKKK!

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. RESPOSTA AO CAIRO BRAGA:

    Claro que eu ouvi você dizendo "Típico dele"!!!
    Você estava do meu lado e muito próximo de mim no anfiteatro. Não tinha como não te ouvir.
    Não fique encabulado não! (Que fofo!)
    O que você disse é verdade mesmo! rsrsrs

    Obrigado pelos parabéns e AMEI a referência a um dos mais clássicos episódios do meu desenho animado preferido: o Pica-Pau.
    "Que pancada no moleirra!" RSRSRS.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Hello Brother do meu Heart.
    Parabéns pelo belíssimo trabalho que desenvlveu e que merecidamente recebeu títul de Doutor. As noites em claro escrevendo, lendo, relendo, revendo e lendo dinovo.... valeram à pena!
    Você é meu espelho! Assim como o de muitos! Quem sabe um dia consigo ser um pouquinho do ser maravilhoso e extraordinário que o meu querido Tatão DOUTOR né!
    Parabéns! Você merece todas as felicitações!
    Lembre-se que é apenas mais uma fase concluída, mas sua caminhada ainda permanece. Muitas realizações estão por vir!
    Divirta-se! Curta! Comemore!!!! Afinal... vc é DOUTOR!!!!!
    Desculpe minha ausência!
    Zilhões de beijos
    De sua irmã... "Pia"

    ResponderExcluir
  17. RESPOSTA À DAIANE:

    Pia do meu coração!
    Obrigado pelas LINDÍSSIMAS palavras!
    Você mora no meu coração desde sempre, apesar de eu talvez ter dito isso a você poucas vezes.
    Que os anjos digam amém às suas palavras.
    E você não esteve ausente não. Você nunca esteve ausente, porque ausência não é exatamente não presença física.
    Você esteve e está sempre presente no meu coração, assim como aquela coisinha linda que você trouxe ao mundo.
    Beijos mil, minha sempre e eterna Pia.

    ResponderExcluir
  18. A atrasadinha aqui só agora viu a postagem! Adorei... Mas olha, fica a informação: abro vidros de qualquer espécie, sem uso da força e sem quebrar unhas. É só uma questão de jeito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana!
      Obrigado por ter comentado!

      Quanto ao vidro e unhas e tudo o mais, coisas do bobo do meu irmão (Vanberto). Vou falar pra ele se entender com você! RSRSRSRSRS.

      Beijão e saudades!

      Excluir